COMO SE TORNAR O MELHOR CIRURGIÃO PLÁSTICO DE NARIZ DO RIO DE JANEIRO / BRASIL

COMO SE FORMA O MELHOR CIRURGIÃO DE NARIZ / RINOPLASTIA DO BRASIL / RIO DE JANEIRO.

Escrevo este post pensando no jovem médico cirurgião plástico que pretende tornar-se um especialista em rinoplastia.

Alguma vez já se perguntou quem é o melhor cirurgião plástico de nariz, o melhor cirurgião plástico em rinoplastia, o maior especialista em rinoplastia do Brasil ou Rio de Janeiro? Eu não teria uma resposta para isto, mas posso lhe dizer que o melhor cirurgião de nariz é aquele que nunca está satisfeito com os seus resultados,  que está sempre buscando melhorar sua cirurgia e que busca incessantemente a excelência na sua Arte.

“O que torna um cirurgião plástico especialista em rinoplastia?”

A formação do cirurgião plástico passa também pelo ensino da rinoplastia, porém nem todos os cirurgiões se dedicam enfaticamente nesta área. Não é exagero falar que a rinoplastia pode ser considerada uma outra especialidade dentro da especialidade da cirurgia plástica, uma vez que trata-se de um universo tão detalhado e distinto que o aprendizado da rinoplastia deve ir muito além daquilo que é usualmente ensinado nos serviços de especialização.

O principal escola de rinoplastia para um cirurgião plástico tornar-se o melhor cirurgião de Nariz, o melhor cirurgião de rinoplastia é a experiência. Não há qualquer escola que substitua a experiência, a dedicação individual e o aprendizado constante em rinoplastia. O cirurgião plástico de nariz deve dedicar-se à rinoplastia como uma especialidade única, merecendo todo o foco e atualização constante.

É evidente que o primeiro passo para tornar-se um especialista em rinoplastia é estudar a anatomia, entender a função respiratória nasal e a harmonia facial. Aprimorar o conhecimento teórico é o primeiro passo, mas o verdadeiro aprendizado começa quando “colocamos a mão” no paciente.

Em rinoplastia, cada caso é, literalmente, um caso. Não existem dois narizes iguais, assim como não existem duas impressões digitais iguais. Cada nariz possui uma estrutura própria, e como tal deve ser tratado individualmente. Não funciona na rinoplastia possuir uma única técnica. O cirurgião que realiza todos os narizes da mesma maneira pensando que chegou ao auge, na verdade parou no tempo, e está perdendo a grande chance de aprimorar-se a cada dia. Acreditar que o seu trabalho está perfeito é o primeiro passo para a decadência profissional.

Imagine se fossemos escrever um capítulo de um livro especificando a melhor técnica para cada um dos diferentes tipos de nariz? Certamente jamais concluiríamos tal obra. Portanto, mais do que apenas conhecer as soluções para cada alteração anatômica do nariz, é necessário que o cirurgião especialista em cirurgia de nariz conheça o que torna um nariz bonito, anatomicamente. Sabendo aonde você pretende chegar, qual é o seu objetivo, será capaz de trabalhar os ossos e as cartilagens do nariz de maneira a reposicionar, refinar, melhorar a estética nasal. Tal qual um escultor que visualiza sua obra dentro do bloco de mármore, para então limitar-se a “retirar o excesso que está em volta”, e permitir a beleza final florescer. É tornar o feio, belo.

Cada cirurgia de nariz é um novo aprendizado. É papel do Cirurgião que deseja tornar-se um especialista em rinoplastia  entender que cada procedimento cirúrgico que realiza deve ser uma oportunidade de aperfeiçoamento. Nunca estar satisfeito com os resultados e buscar sempre o que pode ser feito para melhorar. Comprometer-se com a excelência, mesmo sabendo que nunca deve considera-se excelente. E esta “curva de aprendizado” é algo individual. Não basta alguém lhe ensinar, o grande aprendizado vem mesmo de você.

 

Brasil tem mais cirurgiões plásticos que EUA

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica fez um levantamento e chegou ao seguinte número: há um cirurgião plástico para cada 44 mil habitantes. O número é considerado elevado pelos especialistas. Nos Estados Unidos, são 50 mil pessoas para cada profissional.

Mesmo com um maior número de profissionais, o Brasil ainda é o segundo no mundo na realização de cirurgias plásticas: são 1.592.106 procedimentos por ano, contra 1.620.855 nos EUA. A cidade brasileira que mais possui cirurgiões é São Paulo, com 12,508 no total, mas apenas 899 são especializados em plástica.

Devido a grande oferta de médicos, os pacientes correm o risco de escolher algum que não seja licenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, aumentando o risco de erros cirúrgicos. É o que mostra o Conselho Regional de Medicina de São Paulo: 95% dos processos de reclamação por plásticas mal sucedidas foram feitas por médicos sem título de especialista.

Evite os erros

– Confira se seu médico possui o título de especialista pela SBCP;
– “Especialista em Medicina Estética” não existe;
– Procure por recomendações.

Os homens cada vez mais estão procurando por cirurgias plásticas

Os homens cada vez mais estão procurando por cirurgias plásticas para manter a boa aparência no mercado de trabalho e um aspecto saudável nas relações pessoais. Homens entre 30 e 40 são os que mais procuram pela plástica para combater o envelhecimento.

As cirurgias mais procuradas são de pálpebras, pois eliminam a cara de cansaço, e de pescoço (muito procurada por homens à cima de 50 anos) que corrige imperfeições, retira gordura tecido e elimina papadas.

Mudança com discrição 

Mesmo se rendendo aos procedimentos, eles não querem que a mudança fique evidente. Para que fique o mais natural possível, a cicatriz é posicionada próxima da orelha ou acompanhando o contorno do cabelo, além de ter um cuidado especial para não causar falhas na barba e deslocamento da pele com folículos pilosos para áreas sem pelos

Pós-operatório

É mais dolorido que o das mulheres, pois a espessura da pele do homem é 25% maior que das mulheres. Sangramento e inchaço são comuns, o que deixa a recuperação mais lenta.

Cirurgias por faixa etária

Homens de 20 a 30 anos

Lipoaspiração, rinoplastia (plástica do nariz), cirurgia na orelha e ginecomastia (cirurgia na mama masculina), são as mais procuradas por homens entre 20 e 30 anos.

Homens de 30 a 40 anos
Já pensando no envelhecimento, os homens dessa idade querem fazer lipoaspiração, cirurgia nas pálpebras, rinoplastia e transplante de cabelos.

Homens de 50 a 60 anos
Os cinquentões não deixam a vaidade de lado, sempre em busca do bem-estar recorrem à lipoaspiração, cirurgia na face, pescoço e pálpebras.

 

Fonte: Porta Terra

BUMBUM SILICONADO: PAIXÃO E MANIA NACIONAL

Técnica que utiliza implantes de silicone na região dos glúteos conquista mulheres e homens

No Brasil, quando se fala em preferência nacional, logo se pensa em bumbum. E, neste caso, as brasileiras levam grande vantagem. Mas a natureza não é sempre generosa, nem mesmo com elas. E é aqui que entra a gluteoplastia, a cirurgia plástica que, mediante o uso de próteses de silicone, remodela os glúteos, dando a eles nova forma e, claro, beleza.
A cirurgia de cunho estético tem crescido substancialmente no País. Em 2009, por exemplo, foram realizadas aproximadamente 450 mil ao todo, segundo levantamento feito pelo IBOPE, equivalente a 69% do total de procedimentos em cirurgias plásticas. Dentro dessa soma, a prótese de silicone foi utilizada em quase 159 mil delas, e, desse total, perto dos 5% dizem respeito à gluteoplastia. Ou seja, quase 8 mil brasileiros se submeteram a esse tipo de cirurgia.
A pergunta é: o que a gluteoplastia oferece, de fato? Que mudanças são essas tão procuradas pelo universo feminino e, atualmente, também pelo masculino? “Ela é recomendada nos casos de assimetria, hipotrofia e flacidez dos glúteos, seguido de aumento e remodelagem das nádegas”, revela o cirurgião plástico Raul Gonzalez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, pioneiro na área.
A prótese de glúteo busca satisfazer o desejo daqueles que querem aumentar o bumbum. Mas não é só isso. Além de dar projeção, a técnica corrige defeitos genéticos, melhora o contorno, o volume e a textura, que são afetados por conta de variações de peso, alterações hormonais e até mesmo pela idade.
Para cada biotipo
Entre os formatos de prótese mais utilizados na gluteoplastia estão o oval e o redondo, que permitem melhor adaptação às diferenças anatômicas dos pacientes. “A ideia e respeitar o biotipo de cada pessoa, por isso existem diferentes tamanhos, tanto na projeção como na altura”, comenta o cirurgião plástico Fernando Serra, do Rio de Janeiro, membro da SBCP e doutor em gluteoplastia pela UERJ. /
É importante saber, no entanto, qual dos dois formatos melhor se adequa ao corpo do paciente, já que o objetivo é deixar o bumbum com aspecto mais natural possível. Para os que têm o biotipo em forma de maçã, por exemplo, em que ombros, costas e peito são maiores que os quadris e as coxas, as próteses arredondadas são recomendadas porque possuem medida semelhante à largura e altura do paciente. Já o tipo pêra, mais comum à típica mulher brasileira, com quadris e coxas mais largos que os ombros e o busto, as próteses ovais são mais adequadas (paciente possui glúteo mais comprido do que largo).
O implante de glúteo, assim como o mamário, é constituído de membrana de elastômero de silicone preenchida com gel de silicone, na consistência e resistência necessárias à região em que será implantado. Ainda de acordo com Fernando Serra, as próteses de glúteo estão menos sujeitas ao endurecimento – fato que pode ocorrer com mais freqüência com as próteses de mama. “Na gluteoplastia, as próteses são colocadas no meio do músculo glúteo máximo, que está em constante movimento, o que traz um resultado satisfatório”, ressalta o especialista.
Implante de Quartzo: novidade
A mais recente inovação na área é o implante de Quartzo, desenvolvido pela Silimed, a maior fabricante de próteses de silicone da América Latina, especificamente para a área dos glúteos. Ele conta com design oval projetado adequadamente para o padrão brasileiro. “Produzido por alta tecnologia, com exclusivo gel de silicone Biodesign, apresenta características de superfície lisa e possui alto grau de coesividade, capaz de moldar o corpo com eficiência”, afirma Raul Gonzalez.
Homem também?
Hoje em dia, a gluteoplastia não é uma busca feita apenas pelas mulheres, embora elas ainda sejam maioria (99%). Os homens também têm aderido à aplicação da prótese de silicone nessa área do corpo. Em 2009, das 1.793 cirurgias plásticas com silicone voltadas para o universo masculino, 320 foram próteses de silicone implantadas nos glúteos, cerca de 18% do total (IBOPE).
Marca brasileira pelo mundo
Apesar de o bumbum ser marca registrada brasileira, a técnica da gluteoplastia já alcança patamares mundiais. A Silimed comprova esse boom. A empresa, que exporta seus produtos para mais de 60 países, teve um aumento de 20% na demanda por próteses de silicone de 2009 para 2010.

Você sabia que sua cirurgia plástica tem prazo de validade?

Tudo na vida tem um prazo de validade e a cirurgia plástica não escapa desse fato. Ainda que seja após longo tempo, eventualmente será necessária uma nova intervenção cirúrgica – por exemplo, para trocar próteses, corrigir imperfeições ou resolver outros problemas.

Nem todos que se submetem a esse tipo de operação, porém, sabem disso, e se surpreendem quando precisam voltar à clínica ou hospital para repetir procedimentos, alerta o cirurgião plástico Tomaz Nassif, titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, chefe do Serviço de Microcirurgia Reconstrutiva do hospital federal dos Servidores do Estado, professor do Curso de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica da PUC-Rio e chefe do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital do Rio.

  “Os pacientes que valorizam a saúde, o bem-estar e a aparência são os ideais na manutenção dos resultados, pelo cuidado e controle da alimentação e pela atenção que dedicam à pele”, frisa o Dr. Tomaz Nassif.

 

Perguntas:


O prazo de 10 anos para a troca da prótese de silicone é bem extenso e pode levar ao esquecimento.Como se programar para tal procedimento? A validade de procedimentos pode variar? Que procedimentos e quanto?

Hoje estima-se que este prazo tenha se dilatado, devido ao aumento da qualidade dos implantes. Portanto, pode levar 20 anos para que se tenha que substituir uma prótese mamária. O que se aconselha é que as pacientes procurem o cirurgião assim que notarem qualquer alteração no volume, na consistência ou na cor da pele das mamas, além de sintomas como dor e desconforto, antes inexistentes.  Na ausência destes sinais, que se submetam a um exame clínico, acompanhado de mamografia e US(ultrassonografia) das mamas pelo menos uma vez a cada dois anos.Os diferentes procedimentos que fazem parte da cirurgia plástica estética, variam de duração e têm, cada um, características próprias.  É importante conversar sobre isto com o cirurgião, tomando conhecimento dos prazos normais de validade daqueles procedimentos que estejam sendo cogitados.  Alguns fatores podem interferir, alterando a validade, como a idade, a qualidade da pele, doenças associadas e outros.

No caso de implantes decorrentes de câncer de mama e pagos pelo SUS, como fica essa troca? Ela seria custeada de novo pelo Governo?

Sim, pois a indicação de substituição virá sempre acompanhada de uma alteração qualquer da normalidade, como por exemplo, o endurecimento da mama, chamada de contratura capsular.

A ANVISA determinou novas regras, mais rígidas, para os implantes e para as relações entre médico e paciente. O médico é obrigado a acompanhar a recuperação do paciente e a sua eventual necessidade futura? Como o senhor faz isso normalmente?

É feito através do CNIM – CADASTRO NACIONAL DE IMPLANTES MAMÁRIOS, onde os membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica possuem um número de acesso, para cadastrar um a um cada paciente que recebe um implante, acompanhado do número de referência deste, fornecido pelo fabricante.  Desta forma, fica muito fácil e rápido rastrear e consolidar informações sobre implantes colocados e retirados, problemas encontrados, etc. Além disso, o cirurgião plástico deve manter estreita relação com os pacientes portadores de implantes de silicone, marcando revisões periódicas.

A idade do paciente pode gerar mais problemas?

A idade pode ser um fator de variabilidade, mas não necessariamente em relação direta, como por exemplo, quanto mais idoso pior.

Cirurgias de remoção de parte corpórea, como a lipoaspiração, têm um prazo de validade também? Qual? Por que?

A remoção de gordura por lipoaspiração é procedimento duradouro, desde que o indivíduo não venha a alterar o seu peso de forma constante. Mas é evidente que as alterações naturais do envelhecimento, inclusive o acúmulo de gordura em determinadas áreas ou o aumento da flacidez da pele, continuarão a acontecer normalmente com o passar do tempo.

As cirurgias plásticas às vezes são vendidas como soluções rápidas, eficazes e duradouras. Por que raramente se ouve falar em prazos da duração?

Existe uma cultura consolidada em relação à cirurgia plástica, aqui no Brasil.  As pessoas convivem em casa e em suas relações sociais com diversos indivíduos que já se submeteram a alguma cirurgia plástica, além de ser uma conversa frequente nas rodas sociais. Portanto, já existe uma ideia consciente de que as cirurgias não são para sempre, ainda que algumas possam ser, como as cirurgias que modificam o esqueleto, como o nariz, por exemplo.  Mas entre as paredes dos consultórios dos cirurgiões plásticos estas e outras questões têm que ser informadas e entendidas, antes que se pretenda colocar o paciente na sala e operá-lo.  Mas também é verdadeira a premissa de que é melhor acreditar em soluções permanentes…e assim esquecer destes detalhes.

Os maiores problemas na relação médico-paciente são motivados pela falta de conhecimento em relação à validade de procedimentos? Não seria melhor esses fatos serem veiculados com mais frequência?

Não sei se esta assertiva é verdadeira.  Mas acho que esses fatos têm sim, que ser conhecidos pelos interessados, e veiculados com maior frequência pela mídia.

Os prazos podem ser afetados por uma cirurgia mal realizada? Como?

Claro que sim. Erro na tensão adequada da pele, cortes em localização errada, tudo pode afetar a qualidade e a durabilidade de uma cirurgia. Resumindo, uma cirurgia, qualquer que seja, não pode ser mal realizada. As consequências podem ser ruins e até trágicas.

Existem meios de se alongar os prazos de uma forma natural – como controlar a alimentação e/ou utilizar cosméticos especiais?

Claro que sim! Os pacientes que valorizam a saúde, o bem estar e a aparência são os pacientes ideais na manutenção dos resultados, pelo cuidado e controle da alimentação e pelos cuidados que dispensam à pele.  É sensível a diferença que a alimentação e alguns cosméticos podem exercer sobre os resultados de um procedimento estético cirúrgico, preservando e alongando os prazos de validade.  Recomendamos sempre que os pacientes procurem se cercar de profissionais destas áreas, como nutricionistas e dermatologistas.

No caso dos implantes mamários, como a troca ocorre a cada 10 anos, em média, pode ser feita sucessivas vezes durante a vida. Até quanto? Isto pode acarretar algum problema?

Não há maiores problemas em substituir implantes de mama várias vazes durante a vida.  Como as mamas estão em constante evolução ao longo da vida, é normal que pelo menos dois ou três eventos cirúrgicos ocorram, acompanhando a vida ativa da mulher, antes e depois da gravidez e algumas vezes por conta de algum distúrbio patológico das mamas.

Frederico Mattos

 

Fonte: Mundo Mulher

Silicone industrial deforma o corpo e pode levar a morte

A substância usada na limpeza de carros e impermeabilização de azulejos é aplicada de maneira ilegal em homens e mulheres.

O implante de silicone é uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil. A prótese pode ser colocada nos seios, glúteos, coxas e até nas panturrilhas para aumentar o volume da região. A recomendação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é que o procedimento seja realizado por profissionais habilitados e em clínicas e hospitais que possuam a estrutura necessária para atender o paciente. “Mesmo com a popularização das cirurgias estéticas, muitos homens e mulheres ainda recorrem ao uso do silicone industrial ou líquido, um perigo à saúde”, afirma o cirurgião plástico Alderson Luiz Pacheco.

O uso do silicone industrial para aplicação no organismo teve início na década de 70, principalmente por travestis, que buscavam formas corporais mais femininas para se sentirem aceitos no grupo ou aumentarem o rendimento com a prostituição. “As mulheres também aderiram à prática, que é clandestina e extremamente rejeitada pelos médicos e profissionais da área. O siliconoma, uma espécie de tumor causado pela reação do corpo a aplicação do produto é apenas um dos diversos malefícios que o silicone industrial pode provocar no organismo”, ressalta.

Necrose dos tecidos, embolia, reações alérgicas, dificuldades para andar, deformidades e morte por infecção generalizada são algumas das consequências da aplicação de silicone industrial. Usada para aumentar e dar contorno aos seios, bumbum, pernas, bochechas e boca, a substância é aplicada por pessoas sem conhecimento técnico, as chamadas ‘bombadeiras’, com materiais de origem duvidosa e em locais sem a menor estrutura. “Isto aumenta o risco de infecções e contaminação. Se o produto entrar na corrente sanguínea, ele provoca septicemia e o indivíduo morre logo após a aplicação”, alerta.

O silicone industrial tende a se movimentar por causa da ação da gravidade. Se for aplicado no rosto, por exemplo, pode descer para o pescoço. Nos seios, a substância pode ir para a barriga e nos glúteos o líquido desde para as pernas e os pés. Estas são sequelas que não podem ser disfarçadas. “Sem contar a dor física durante o procedimento. Pacientes relatam que quando o silicone ilegal entra em contato com a pele e os tecidos, a sensação é que está sendo colocada água quente dentro do corpo, que entra rasgando para encontrar espaço entre os tecidos”, conta.

As vítimas do silicone industrial sofrem danos físicos e psicológicos. A frustração de buscar um corpo perfeito e ter resultados que comprometem a saúde, a estética e a qualidade vida aumenta o pesadelo. A situação fica ainda pior quando não há como reverter às sequelas do silicone industrial. “Em alguns casos é possível retirar a substância com lipoaspiração, mas em outros é necessário remover partes do tecido, já que o produto químico se espalha pelo corpo e adere à região muscular. A cirurgia radical pode deixar o corpo ainda mais defeituoso, mas às vezes é a única alternativa”, explica.

As diferenças entre o silicone ilegal e as próteses tradicionais é o produto utilizado e a forma de aplicação. O industrial tem como finalidade a limpeza de carros e peças de avião, impermeabilização de azulejos e a lustração de painéis automotivos. “Ele é aplicado por meio de seringas usadas em animais, principalmente para equinos. O uso de silicone líquido para fins médicos é proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Ministério da Saúde. O produto sempre irá causar problemas no corpo e não deve ser utilizado em hipótese alguma”, avisa.

Pacheco enfatiza que o uso do silicone industrial continua devido aos preços mais baixos comparados a uma cirurgia plástica. Mas o baixo custo monetário não compensa os riscos e os danos causados à saúde. “Normalmente, as pessoas que colocam o silicone ilegal no corpo só buscam ajuda quando estão com dores e deformidades. Mas quem se submeteu a este tipo de aplicação, deve procurar um médico imediatamente, pois somente ele poderá intervir se houverem complicações. Somente um profissional qualificado saberá avaliar a gravidade de cada caso”, finaliza.

Dr. Alderson Luiz Pacheco.- cirurgião plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Fonte: Mundo Mulher

Rinoplastia RJ - RIO - Cirurgia Plástica de Nariz - Cirurgia Plástica de Face - Cirurgia Plástica de Corpo - Cirurgia Plástica de Mamas - Consultório

"O Dr. Luciano B. Loss oferece uma ampla variedade de cirurgias e procedimentos para o aprimoramento estético da face, nariz, mamas, abdômen, contorno corporal e pele.
Atendendo pacientes do Rio de Janeiro, Niterói, São Paulo, Juiz de Fora, Belo Horizonte, Brasilia e demais regiões do Brasil.

O Dr. Luciano B. Loss oferece uma ampla variedade de cirurgias e procedimentos para o aprimoramento estético
da face, nariz, mamas, abdômen, contorno corporal e pele.
CONSULTÓRIO 1: Av. Afrânio de Melo Franco, 141 - sala 502 - Ed. Melo Franco Medical Center - Leblon - Rio de Janeiro - RJ (Em frente ao Shopping Leblon)
CONSULTÓRIO 2: Rua Coronel Moreira César, 229 - Sala 1510 - Shopping Icaraí - Icaraí / Niterói - RJ

Aviso: as imagens presentes neste site são meramente ilustrativas e não correspondem à pacientes reais.
Desenvolvimento:Rapport Digital & Consultor de SEO | Parceria:Academia Brasileira de Coaching

Links que indico: Drª Tatiana F. Assad Loss — Ortodontia e Odontopediatria - Aparelhos ortodônticos | Como esquecer um grande amor
Cirurgia Plástica do Nariz ( Rinoplastia) RJ - Rio de Janeiro | Cirurgia Plástica do Nariz ( Rinoplastia) RJ - Rio de Janeiro
Cirurgia plástica RJ - Rio de Janeiro | Rejuvenescimento Facial | Cirurgia de pálpebras - Blefaroplastia | Cirurgia plástica para Orelha em Abano
Cirurgia plástica para aumento dos lábios | Sorriso gengival | Cirurgia plástica de preenchimentos | Cirurgia plástica do queixo (mento)
Plástica do Abdomen | Cirurgia plástica de Lipoaspiração e Lipoescultura | Prótese de Glúteo | Dorso e Torsoplastia | Braços e Braquioplastia
Mamoplastia de aumento - Silicone RJ | Mamoplastia redutora Mastopexia mamas | Ginecomastia Preços de cirurgias plásticas